Dia Nacional da Saúde Ocular

Sociedade Mineira de Oftalmologia alerta para os cuidados com a visão e homenageia profissionais

Em sete de maio são comemorados o ‘Dia Nacional da Saúde Ocular’ e o ‘Dia do Oftalmologista”. A Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO) e o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) parabenizam os médicos oftalmologistas pelo trabalho realizado e alertam a população para os principais cuidados com a visão. Segundo o presidente da SMO, Luiz Carlos Molinari, a atenção com a saúde ocular deve acontecer durante todas as fases da vida. Tem início na gestação, nos cuidados com a mãe durante o pré-natal, e nos recém-nascidos submetidos ao teste do olhinho, capaz de detectar, ainda na maternidade, doenças como catarata e glaucoma congênitos, tumor e outros problemas oculares. Molinari alerta que a criança deve ser encaminhada ao oftalmologista antes de completar um ano, para que se detecte problemas que possam impedir o desenvolvimento de uma visão de qualidade, e prevenir a cegueira infantil. “Os erros de refração,, assim como o estrabismo, devem ser diagnosticados o mais precocemente possível, propiciando a melhor visão com a correção óptica adequada, evitando o atraso do desenvolvimento e o olho preguiçoso (ambliopia). São indicados exames aos quatro e depois em torno dos seis anos, e antes da alfabetização, e aos oito anos, fase em que o olho humano completa o desenvolvimento funcional definitivo. Após estas etapas da infância as visitas ao especialista são anuais, ou a qualquer momento, caso haja queixas oculares.” Levando-se em conta que o olho também envelhece, dos 13 aos 20 anos de idade os problemas de refração são mais frequentes (miopia, hipermetropia e astigmatismo), assim como o ceratocone, comum neste período da vida. De acordo com Molinari, tais irregularidades visuais podem ser solucionadas com o uso de lentes corretoras, e até, na idades adequadas, e atendendo a indicações específicas, cirurgias personalizadas, que são as de correção de grau e as técnicas de contenção do desenvolvimento do ceratocone. “Aos 40 anos, o oftalmologista é procurado para solucionar as dificuldades de visão de perto; a presbiopia, conhecida como ‘vista cansada’. É importante que neste período o paciente seja submetido a uma avaliação oftalmológica, e não adquira no comércio as lupas para leitura, pois pode haver um mascaramento de problemas oculares, como catarata, glaucoma e outras. Por volta dos 60 ou 65 anos podem surgir problemas com a perda da transparência do cristalino, ou catarata, um risco real de cegueira, reversível com o auxílio de cirurgia e implante de lente intraocular”, esclarece.

Para o presidente da SMO, alguns problemas demandam maior atenção, como nos casos de pacientes usuários de lentes de contato, que passaram por cirurgia refrativa, como miopia, glaucoma de difícil controle e portadores de retinopatia diabética ou degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Nesses casos, as consultas com o oftalmologista devem ser frequentes, para acompanhamento, e não apenas anuais. “Destacamos que é possível prevenir e tratar muitas enfermidades, e quando o cuidado é iniciado precocemente as chances são ainda maiores. O exame é um ato médico e só deve ser realizado pelo oftalmologista.”

Molinari acrescenta que no dia a dia algumas medidas são simples e contribuem para evitar doenças oculares. “Mantenha os olhos sempre higienizados, utilize óculos de sol ,bonés ,chapéus, para proteger do vento e das ações de raios UVA e UVB e evite coçá-los com frequência. No caso de olho seco, o profissional pode indicar lubrificantes oculares, ou lágrimas artificiais adequadas. Evite auto-medicação, como colírios contendo corticoides, que podem aumentar a incidência de catarata ou glaucoma.Mediante qualquer queixa, como dor, sensação de areia, olhos vermelhos ou falhas na visão, procure um oftalmologista.”

ATENÇÃO: O presidente do SMO conclui, alertando imprensa e população para cursos on line, do ‘programa mais visão’, baseado na técnica de auto cura, ‘self-heading de Meir Schneider’, sem qualquer comprovação científica. Em abril, o Ministério Público, por meio da Procuradoria Geral de Justiça de SP, considerou as atividades como fraude e propaganda enganosa, sendo ministradas por profissional não médico, no caso uma terapeuta ocupacional, colocando em risco a saúde ocular das pessoas.” Somente profissional com formação médica e especialista em oftalmologia pode ministrar cursos e prescrever tratamento adequado às doenças oculares”, segundo o Procurador de Justiça Nilton Luiz de F. Baziloni.(22.04.2019)

ENTREVISTAS E INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:

Assessoria de Imprensa da AMMG

Daniela Colen / Nétali Leite / Renata Clímaco

(31) 3247 1630 / 3247 1615 / 3247 1639

imprensa@ammgmail.org.br